Agente 21 – Curso Profissional de Turismo

Terceira Turma

O século XXI trouxe grandes avanços tecnológicos, consumidores ativos conhecedores de seus direitos e deveres, além de uma concorrência acirrada e cruel. São mudanças que interferem no processo de decisão de vendas e exige do profissional uma nova postura. Leia mais deste post

Anúncios

As Agências e o Cliente Fiel

A primeira viagem de turismo de que se tem notícia foi um trem fretado pelo inglês Thomas Cook, em 1841, levando centenas de pessoas para um congresso em Leicester. De lá para cá, o mercado foi crescendo, transformando-se e hoje passa por um momento extremamente delicado quanto às suas competências e razão de ser. Não bastasse a concorrência de mercado, caracterizada pela polarização competitiva entre grandes e pequenas empresas de turismo, o setor de Agenciamento de Viagens tem bons motivos para se preocupar e precisa mobilizar-se com urgência.

Leia mais deste post

Pequenos investimentos que podem mudar a sua vida profissional

Normalmente, no final do ano, começam a nascer às famosas promessas que raramente serão cumpridas. A maioria das pessoas está habituada a este ciclo, que consiste na empolgação inicial, na definição das ações, e depois, no completo esquecimento ao longo do ano.

Esse costume anual não acontece apenas na área pessoal, muitas empresas passam pela mesma dificuldade. Se você já fez isso no final do ano passado e seus objetivos ainda não foram cumpridos, algo está errado. Mas o que será? Devemos parar de responsabilizar fatores externos pelos nossos insucessos. O que impede a realização de nossos desejos e planos está dentro de nós.

Portanto, se você planejou seguir carreira no mercado de turismo e ainda não tomou nenhuma atitude. Aqui está uma boa oportunidade para começar concretamente a realizar o seu sonho.

A Tradeclube Turismo está oferecendo o Curso Livre de Agente de Viagens, com duração de 04 meses, todos os sábados. O curso terá aulas teoricas e práticas, desenvolvidas para que os participantes, após o término do curso, iniciem suas atividades no turismo, em uma agência de viagens, uma cia aérea ou trabalhem como profissionais free lancers.

O curso é dividido em módulos, portanto você poderá decidir pelo conteúdo total do curso (com duração de 04 meses), ou somente por um módulo (com duração de 01 mês) que seja de seu maior interesse. Para maiores informações sobre o curso entre no site da Tradeclube Turismo.

A força da nossa classe!

No próximo dia 24 de abril é comemorado o Dia do Agente de Viagens. E, nós, agentes de viagens merecemos, por todas as nossas lutas e conquistas, que realizamos diariamente, uma grande homenagem. Mas que tipo de homenagem nós queremos? E, francamente, comemorar o quê?

Atualmente, recebemos uma “chamada” do presidente de nossa representante para um “boicote geral” a IATA, devido a uma resolução tomada pela mesma em relação ao não pagamento da comissão pelas cias aéreas internacionais a partir de junho deste ano.

E, neste ponto, concordo plenamente com suas palavras “É uma idiotice continuarmos filiados a uma associação que não nos ajuda em nada”. Pelo que entendo, uma associação é criada para defender os direitos de seus associados e, francamente, a IATA está fazendo muito bem o seu papel. Não vislumbro nenhum cartel… Se a mesma faz com que a nossa representante seja “ouvida” e não “escutada” em suas reuniões, na minha opinião, alguém não está cumprindo direito o seu papel.

E, cabe a nós, agente de viagens, cobrarmos uma posição mais adequada, baseada em estratégias inteligentes que deveriam ser articuladas, há muito tempo, desde o início da redução do comissionamento, lá atrás, na época da Varig. Lembra? E, neste momento, uma “guerra”, nesta altura do campeonato, não será uma boa solução para ninguém.

Acho que a melhor homenagem que nós podemos fazer, a nós mesmos, é acabarmos de vez, com a nossa cegueira e inércia e, demonstrarmos mais união e mais força para exigirmos de nossas associações de classe uma representatividade racionalmente e realmente ativa e que defenda nossos direitos com mais maturidade perante o mercado. Porque defender os nossos direitos é um dever, é uma obrigação, pois afinal, somos nós que pagamos as contas.